Testosterona e mulheres na pós-menopausa

Uso de testosterona por mulheres na pós menopausa.

Como médico ginecologista, com muita frequência atendo no consultório mulheres com queixa de diminuição da libido.

Apesar de muito importante, este tipo de queixa a paciente geralmente só comenta com seu médico.

 É uma reclamação que está presente em todas as faixas etárias, mas é mais evidente em mulheres que já entraram na menopausa.

As histórias  mais comuns são: 

-Diminuição na frequência de relações sexuais.

-Diminuição do desejo e do prazer.

-Dor na relação sexual. 

-Secura vaginal.

Recente estudo australiano, publicado em julho de 2019, confirmou eficácia de tratamento que já faço de rotina: a suplementação com testosterona para estas mulheres.

A suplementação melhorou  as queixas acima relacionadas.

Se possível, devemos utilizar via “não oral”, que não piora o perfil lipídico.

Este cuidado é muito importante. Em alguns casos o ginecologista é o único médico que atende a paciente.

Daí a importância do ginecologista “funcionar “ como clínico geral da mulher, não se restringindo na sua prática.

Não existem  em nosso meio produtos feitos especificamente pela indústria para este tratamento.

Há necessidade de utilizarmos farmácia de manipulação.

A aceitação de produtos transdérmicos é boa e não apresenta efeitos colaterais importantes. Naturalmente há necessidade de acompanhamento médico regular, individualizando caso a caso.

Os estudos não mostraram a mesma eficiência em mulheres na pré menopausa.

Um outro aspecto importante que noto: muitas destas mulheres estão sedentárias ! Apesar de saber da dificuldade em se iniciar uma atividade física regular, é mais do que conhecido o benefício da prática. Que idealmente ainda pode ser dividido em atividades aeróbicas e de ” força” . Somado à dieta balanceada e bom  controle do peso.

Como são temas complexos e mais longos será tema para outro post.

Gostou deste assunto ? Ficou com alguma dúvida ?

Numa consulta presencial podemos conversar melhor!

Coletor Menstrual

Coletor Menstrual

Você já ouviu falar do coletor menstrual?

Coletor Menstrual

Ao longo dos últimos anos algumas novidades têm surgido na ginecologia.

Um deles é o chamado “coletor menstrual”. É uma peça como mostrado na figura acima.

Muitas de minhas pacientes têm utilizado este dispositivo como alternativa aos absorventes já conhecidos e estão muito satisfeitas.

De maneira geral percebo que são mulheres mais jovens e de alguma forma ligadas à área da saúde. Escrevo isto porque parece que mulheres desta área tem menos dificuldade em lidar com o próprio corpo.

Mas vamos aos fatos:

Recente trabalho internacional confirmou o que já observamos: os coletores menstruais funcionam bem!

A pesquisa mostrou que:

– há bom controle em relação aos “vazamentos”.

– tem poucos efeitos adversos.

– custam menos ao longo do tempo.

A principal preocupação que escuto relaciona-se a dificuldade para colocá-lo e a eventuais prejuízos ao sistema reprodutor.

E a pesquisa confirmou também esta informação, mostrando que há necessidade de alguma prática até completa adaptação.

Não houve problemas com infecções vaginais ou alterações no colo do útero.

Não houve aumento de infecções no sistema reprodutivo ou mesmo infeções sistêmicas.

Houve até diminuição nos casos de candidíase.

Apesar dos resultados favoráveis, o desconhecimento ainda é apontado como limitador para seu uso mais amplo.

O período de aprendizado para o uso do coletor menstrual variou de 2 a 5 meses.

Entre os desafios, foram citados a dificuldade em limpar e guardar os coletores, além da dificuldade esvaziá-los em escolas e banheiros públicos.

Talvez uma das contra indicações para seu uso seja em mulheres portadoras de DIU, uma vez que a manipulação inadequada poderia mudar a posição do DIU.

Consulte seu médico para saber se você pode ou não experimentar o coletor.

Gostou desta matéria ? Tem algum assunto que se interesse ?