Vitaminas na gravidez – parte II

Vitaminas na gravidez – parte II

A preocupação com a nutrição e com a dieta adequada acompanha o ser humano!

Vitaminas na gravidez – parte II

Em todas as fases da vida, da infância à velhice, ocorre a preocupação do que comer, em que quantidade, com qual frequência, etc.

Durante a gravidez não é diferente. Eu diria até que este é um momento tão especial, que mulheres que normalmente não se preocupam com a dieta, passam a ficar mais atentas com sua alimentação. Afinal de contas, a saúde do bebê está em jogo.

Abordei este tema em um texto recente e a repercussão foi muito grande. Assim, decidi continuar um pouco mais sobre este assunto tão fascinante e complexo.

Para a saúde da gestante e do bebê, o ideal é manter uma alimentação equilibrada e variada. Vitaminas e minerais essenciais na gravidez são encontrados nos alimentos, por isso é necessário que se tenha atenção especial na hora das refeições. Assim, coloque-os sempre em sua dieta, conforme abaixo:

  • Ácido fólico: essencial para a divisão celular e prevenção dos chamados “defeitos do tubo neural“, como espinha bífida. Alimentos como legumes, vegetais de folhas verdes e frutas são fontes do suplemento mais conhecido das gestantes.
  • Vitamina A: importante antioxidante que protege as células contra radicais livres. Encontrada em frutas, vegetais de cores fortes como cenoura, abóbora, brócolis, espinafre no fígado, ovos e leite.
  • Vitamina B12: ajuda na formação dos glóbulos vermelhos do sangue e no correto funcionamento do sistema nervoso central. Coma carnes, peixes, ovos, queijos e beba leite.
  • Vitamina C: age como antioxidante. É também indispensável para a síntese do colágeno, para a manutenção dos tecidos e das funções glandulares e do crescimento. Aumenta a imunidade, protege contra infecções. Muito encontrada em frutas como laranja, limão, abacaxi e mamão papaia. Pode ser adquirida também em repolho, couve-flor, espinafre, pimentões verdes e tomates.
  • Vitamina D: fundamental para o desenvolvimento ósseo, síntese da insulina e manutenção do sistema imunológico. Ajuda na absorção do cálcio. Sua produção é estimulada pela luz solar, assim toda mamãe deve se expor ao sol. É possível encontrá-la também nos peixes como atum e salmão.
  • Cálcio: imprescindível para a formação dos ossos e dentes, atua na contração das fibras musculares e na coagulação sanguínea. Fácil de achar em leite e seus derivados como queijo, iogurte, etc., está presente também na gema de ovo, gergelim, amêndoas, sardinha, feijão e folhas verdes.
  • Ferro: evita a anemia na gestante e a falta e oxigenação para o bebê. Pode ser receitado pelos obstetras antes, durante e depois da gravidez. Você encontra ferro em carnes vermelhas, cereais integrais, vegetais de folhas verde-escuras, feijão, lentilha, gema de ovo, nozes e legumes.
  • Iodo: ajuda no desenvolvimento embrionário e nos órgãos fundamentais, essencial para os hormônios da tireoide. Presente em castanhas, nabo, nozes amêndoas e em legumes.
  • Zinco: auxilia também no desenvolvimento e crescimento do bebê, considerado um antioxidante natural. Pode ser encontrado na carne, nos produtos lácteos, feijão, grão de bico, soja e frutas secas.

Na dúvida, converse sempre com o seu ginecologista e obstetra. Caso necessário, ele pode receitar uma suplementação apenas com as vitaminas e os minerais que você necessita. Nunca tome nada sem a orientação dele, principalmente na gravidez.

Vitaminas na gravidez – parte I

Vitaminas na gravidez. O que são vitaminas e qual a sua importância ?

As vitaminas são substâncias que em geral, o organismo não tem condições de produzir.

Antes de começarmos a discussão deste tema, antigo mas até hoje em dia polêmico, repleto de dúvidas e contradições, acredito que precisamos definir alguns conceitos relativos às vitaminas.

As vitaminas são substâncias que em geral, o organismo não tem condições de produzir. Assim, precisam fazer parte da dieta alimentar.

  1. As vitaminas são substâncias que em geral, o organismo não tem condições de produzir. Assim, precisam fazer parte da dieta alimentar.
  2. Suas principais fontes são as frutas, verduras e legumes, mas elas também são encontradas na carne, no leite, nos ovos e cereais.
  3. As vitaminas desempenham diversas funções no desenvolvimento e no metabolismo. Mas não são usadas como fonte de energia.
  4. São sim indispensáveis, mas em quantidades pequenas. A falta delas, porém, pode causar várias doenças, como o raquitismo (enfraquecimento dos ossos pela falta da vitamina D) ou o escorbuto (falta de vitamina C).

Classificação

A mais utilizada é a classificação baseada na solubilidade das vitaminas. De acordo com esse critério, as vitaminas dividem-se em lipossolúveis e hidrossolúveis.

As lipossolúveis incluem as vitaminas A, D, E e K, enquanto as hidrossolúveis compreendem as vitaminas do complexo B (B1, B2, B6, B9, B12) e C .

O que isso quer dizer?

Sabemos que é muito comum as gestantes saírem da primeira consulta do pré-natal com uma lista de suplementos para garantir uma gravidez saudável e o desenvolvimento perfeito do bebê.

Mas será que tudo isso é mesmo necessário?

Os trabalhos científicos afirmam que não!

É possível garantir a maior parte dos nutrientes por meio de uma alimentação balanceada, o que aliás é o ideal.

Indispensável, mesmo, somente o ácido fólico, que faz parte das vitaminas do complexo B (no caso B9). Esta vitamina reduz os casos dos chamados “defeitos do tubo neural”, como meningocele e espinha bífida. Ela deve ser ingerida preferencialmente três meses antes de engravidar e até a 12ª semana de gestação. As evidências científicas mostram que esta vitamina precisa ser suplementada, mesmo que a mulher se alimente de maneira adequada.

Como em todos aspectos da medicina, a avaliação nutricional da gestante precisa ser individualizada. Cada paciente tem sua história, suas preferências alimentares, etc.

E o mais importante: cada uma delas começa o pré natal de maneira diferente! Algumas estão acima do peso, outras abaixo e assim por diante. Não existe receita universal para todas.

Um bom exemplo está relacionado com o ferro. Muitas mulheres podem ter carência deste mineral e necessitarem de reposição durante toda a gestação. Outras eventualmente não.

No próximo post continuarei falando sobre as vitaminas e minerais fundamentais na gravidez e em quais alimentos cada uma delas está presente.